Girl power! ‘Festival das Marias’ celebra arte feita por mulheres.

Olha que legal este programão mega empoderado! Talentosas minas artistas do teatro, do circo, da música, do cinema, da fotografia e de outras artes se encontram na primeira edição do Festival das Marias , que acontece entre 5 e 25 de novembro.

A programação é digital e transmitida pelo FacebookInstagram e YouTube do evento, exceto por duas sessões de cinema que acontecem no dia 25, no Cine Petra Belas Artes, seguindo todos os protocolos de segurança. E o melhor: é tudo grátis!

Vai rolar muita música e vibrações boas com os shows de Fabiana CozzaBebé SalvegoBruna CaramAna SeváWoman Summer Quartet e Consuelo de Paula.

A cantora Marina de La Riva presta uma homenagem aos 100 anos da escritora Clarice Lispector, com uma bela leitura de trechos da prosa poética dessa lenda da literatura brasileira.

Para quem curte artes visuais, a dica são as belas fotos de Dani Sandrini, na exposição online “Duas Cidades”, e de Dan Agostini, nas mostras “Palomas” e “Hijras e Tiffanys”.

Já a programação de artes cênicas do “Festival das Marias” conta com vários espetáculos de teatro adulto e infantil e circo. Entre as atrações, destaca-se o solo “O Nome das Coisas”, no qual a atriz Suia Legaspe homenageia a poeta portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), a primeira mulher a receber o Prêmio Camões de Literatura.

Confira abaixo a programação completa do “Festival das Marias”:

Artes Visuais

  • Até 25/11 – Exposição “Duas Cidades”, de Dani Sandrini: este projeto fotográfico evoca a questão do encontro e do movimento – mentais ou geográficos de uma mulher. Fotografado com filme granulado preto e branco, traz imagens orgânicas que se conectam com a proposta emocional de mergulho na memória feminina. Visite a mostra aqui.
  • De 7 a 25/11 – Exposição “Hijras e Tiffanys”, por Dan Agostini: Durante o ano de 2019, a fotógrafa retratou mulheres transexuais na Índia e no Nepal. Embora os dois países sejam vizinhos e apresentem culturas e religiões similares, a forma como esses indivíduos se reconhecem e a maneira como os dois países percebem as questões de gênero e sexualidade são distintas. A proposta do trabalho é analisar como o meio social de diferentes lugares e culturas pode interferir nas possibilidades e na compreensão dos indivíduos inseridos nesses contextos.
  • De 14 a 25/11 – “Palomas / Retratos”, de Dan Agostini: Paloma vive em uma casa de acolhimento em São Paulo, chamada Casa Florescer, junto de outras 29 mulheres transexuais. Durante a pandemia, a fotógrafa documentou a vida de 15 mulheres residentes da casa para entender como o momento atual vem impactando suas vidas e potencializando o estado de vulnerabilidade dessas mulheres. Visite a mostra aqui.

Música

  • 13/11, às 21h30 – Bruna Caram: em formato de piano e voz, a cantora interpreta as faixas do seu recente disco “Alívio – Ao Vivo”.
  • 15/11, às 19h – Ana Sevá: A instrumentista e cantora apresenta ao público algumas de suas referências musicais, como canções de Whitney Houston, Ariana Grande e sucessos da MPB.
  • 18/11, às 21h30) – Woman Summer Quartet: Em uma mistura de sonoridades, o quarteto formado por Marina Dias (violino), Sara Oliveira (violino), Carol Uchôa (viola) e Camila Hassel (violoncelo), toca o repertório de Marisa Monte, Colbie Caillat, Roberta Campos, Anavitória, Yael Naim, Ana Vilela e Sandy.
  • 20/11, às 21h30) – Consuelo de Paula:  A cantora mineira apresenta o show Maryákoré”, com músicas de seu sétimo disco, uma obra provocadora naquilo que tem de mais feminina, mais negra, mais indígena e mais reveladora de nós mesmos.
  • 22/11, às 19h – Bebé Salvego: Talento revelado no reality show The Voice Brasil Kids, Bebé apresenta o show “Mulheres Extraordinárias”, com temas de Nina Simone, Eryka Badu, Tassia Reis, Tulipa Ruiz, Xênia França e Elza Soares.
  • 25/11, às 21h30 – Fabiana Cozza: A paulistana apresenta o show “ELAS”, com canções do disco “Canto da Noite na Boca do Vento” (2019), músicas da dama do samba Dona Ivone Lara e de seu trabalho mais recente “Dos Santos” (2020).

Artes Cênicas

  • 14/11, às 21h30 – “O Nome das Coisas”, com Suia Legaspe (Teatro): Escrito e dirigido por Henrique Zanoni e protagonizado pela atriz Suia Legaspe, o solo O Nome das Coisas é inspirado em contos, poemas e reflexes da poeta portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004), a primeira mulher a receber o Prêmio Camões de Literatura. Seus questionamentos e angústias são colocados em cena, em uma inquietante e incansável pesquisa sobre a condição ontológica do humano. Duração: 60 minutos. Classificação: 14 anos.
  • 21/11, às 21h30 – “Apenas Um Saxofone”, com Annete Neiman (Teatro): A peça coloca no palco o conto de Lygia Fagundes Telles com interpretação de Anette Naiman. No texto de 1969, Luisiana é uma mulher de meia idade que, isolada em sua casa, envolvida pelo álcool e pela solidão, vai aos poucos revelando em flashback a sua verdadeira história de amor da juventude por um saxofonista. Duração: 50 min. Classificação: 14 anos.
  • 22/11, às 17h –  “VerDe Perto, o Musical Ecológico”, com Renata Pizi (teatro infantil): A peça foi criada pela cantora e compositora Renata Pizi, vencedora do Prêmio Musique, em 2011, com um dos mais belos timbres da nova MPB. Com o Grupo 3 de Copas, que assina a produção e a direção, a peça traz canções que abordam temas como ecologia, reciclagem e a preservação do meio ambiente, com arranjos executados ao vivo passando por diversos ritmos como o baião, maracatu, pop e o rock ‘n’roll.  Duração: 45 min. Classificação: Livre.
  • Dias 14, 17, 19, 22 e 25/11, às 18h – “A Louca das Frutas”, com Painé Santamaria (circo): A argentina Painé Santamaria (malabarista, palhaça, musicista e cenógrafa) desenvolve trabalhos e pesquisas sobre a arte circense há 16 anos. Ela possui especialização em malabarismo contemporâneo e em espetáculos de rua. Duração: 15 min. Classificação: Livre.
  • Dias 15, 18, 21 e 24/11, às 18h – “Bambolês”, com Bárbara Francesquine (circo): Artista autodidata na manipulação de bambolês, Bárbara Francesquine dedica-se também ao estudo da dança em busca de novas possibilidades para a criação e movimentação. Em seu trabalho procura quebrar a rigidez técnica ao explorar artifícios da dança, da interpretação e da plasticidade para atingir um melhor e mais lúdico diálogo com o público. Duração: 15 min. Classificação: Livre.
  • 19/11, às 21h30 – “Elas por Ela”, com Troupe Guezá (circo): Com corpos acrobáticos, potentes e habilidosos, o espetáculo investiga o gênero feminino – composto não apenas pelo corpo físico, mas também pelos pensamentos, sentimentos e alma, em contraste com sua relação imposta pela sociedade. Duração: 45 min. Classificação: Livre

Literatura

  • Dias 13, 16, 20, 23 e 25/11, às 18h – Performance poética: “100 Anos de Clarice Lispector”, com Marina de la Riva: A cantora traz prosas e frases de diferentes livros de Clarice Lispector, selecionados especialmente para serem recitados nesta apresentação, no Festival das Marias, festejando os 100 anos da escritora.

Cinema

  • 25/11 (horário ainda não divulgado) – “Deus é Mulher e seu Nome é Petúnia” (2019), de Teona Strugar Mitevska: O filme se passa na pequena vila de Stip, na Macedônia, quando Petúnia, uma mulher de 31 anos que está solteira e desempregada, mergulha num rio para pegar a cruz em uma competição religiosa, exclusivamente masculina. Petúnia se torna a vencedora, mas a população local não aceita, e isso faz com que ela passe por consequências absurdas e constrangedoras, mas Petúnia mantém o seu chão. Onde: Cine Petra Belas Artes
  • 25/11 (horário ainda não divulgado) -“Papicha” (2019), de  Mounia Meddour: Em 1997, a Argélia é controlada por grupos terroristas com intenções de transformar o país em um arcaico Estado Islâmico. Nedjma, uma estudante universitária apaixonada pelo mundo da moda, deseja lutar contra a opressão que o governo exerce sobre mulheres, tentando controlar os seus corpos e suas presenças em espaços públicos.

Entre Marias

Música e Mel: Diálogos ao vivo com mulheres atuantes do mercado da música sobre liderança feminina, curadoria e produção. Os bapos são mediados e têm curadoria da Casa de Abelha Cultural.

  • 10/11, às 17h – “Produção Cultural”, com Michelle Serra (São Paulo)
  • 17/11, às 17h – “Curadoria e Programação Musical”, com Luiza Morandini (São Paulo)
  • 24/11, às 17h – “Consultoria de Negócios Musicais e Internacionalização”, com Luiza Mitteldorf (Berlin/Alemanha)
  • 1/12, às 17h – “Produção Cultural”, com Nefertith Andrade (Ceará)

Oficinas

  • 12/11, às 16h – Oficina de Fotografia, com Dani Sandrini. Assista aqui
  • 13/11, às 16h – Oficina de Sonorização, com Florência Saraiva. Assista aqui
  • 14/11, às 16h – Oficina de Cerâmica, com Monica Daher. Assista aqui
  • 19/11, às 16h – Oficina de Fotografia, com Dan Agostini. Assista aqui
  • 20/11, às 16h – Oficina de Iluminação, com Grissel Manganelli. Assista aqui
  • 21/11, às 16h – Oficina de Costura / Turbantes africanos, com Sara & Micaela. Assista aqui
  • 24/11 (16h) – Oficina de Canto, com Carol Andrade. Assista aqui

Texto por: Catraca Livre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s